Voto Monástico

O fotógrafo americano Thomas Joshua Cooper (1946) situa a paisagem dentro da passagem do tempo, mas com referência especial a história humana. Em 1968, ele fez um voto monástico que vem respeitando desde então: jurou “só fazer arte com minha câmera Agfa 1898, só tirar fotos externas, e só tirar uma única foto em cada lugar”. Assim, ele percorre o mundo mapeando em fotografias as extremidades das terras e ilhas dos cinco continentes que cercam o oceano atlântico. Batizou esta empreitada épica de “O Fim do Mundo – Projeto Bacia do Atlântico” (1990).

Em Prime Head, extremo norte da península Antártica, ficou sabendo que até aquele momento, menos pessoas tinham pisado lá do que na lua. Mas Cooper não escolhe os locais apenas pelo isolamento geográfico, mas também pela importância histórica. Há uma imagem feita no Cabo de São Vicente, Portugal, onde o explorador Fernão de Magalhães orou por 24 horas antes de partir para sua fatídica circum-navegação do globo. Em um tributo ao navegador, Cooper fez uma vigília de 24 horas no local e tirou sua única foto na vigésima quarta hora., às seis da manhã. Esta imagem é chamada “No Fim do Mundo – Extremo Sudoeste – Olhando em Direção ao Novo Mundo – Oceano Atlântico Norte, Cabo de São Vicente, Portugal”.

Retirado do livro “Tudo Sobre Fotografia” – Ed. Sextante.

Thomas Joshua Cooper - Cabo de São Vicente

PS.: Thomas Joshua Cooper – Pesquise este fotógrafo. Você vai se impressionar.

Anúncios

DEIXE UM COMENTARIO - LEAVE A REPLAY

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s